Carta ao leitor: pense e entenda o blog ou saia do mesmo

Pessoal, Estou escrevendo este texto não com o intuito de fazer rir, mas de explicar melhor a essência e história deste blog. A ideia surgiu após anos fazendo as pessoas rirem com minhas crises de revolta. Seria uma forma de expressar, desabafar e criar humor, coisa que eu gosto de fazer. Quando pensei em criá-lo, quis fazê-lo de forma anônima, com algum codinome, protegendo minha identidade. Dessa forma, poderia dizer o que eu quisesse, sobrem quem quisesse, da forma que eu quisesse e foda-se o que fossem achar.

Mas quem me conhece sabe que não sou de fugir do pau, falo o que quero e não me escondo atrás de fakes. Quem acompanha o blog também já percebeu isso.

Após quase dois anos de blog, o mesmo cresceu e passou a ser lido por pessoas que não me conhecem e não sabem quem realmente é a pessoa por trás dos textos. O humor ranzinza e mal humorado faz parte de mim, mas 90% das ideias presentes nos textos, se vocês não perceberam, são fantasiosas, para levar ao riso. São hipérboles, ou seja, aumentadas em milhões de vezes, totalmente irreais, mas engraçadas de se imaginar. O exagero também é engraçado, como mostra o sucesso do próprio blog.

Porém, como o blog passou a ser acompanhado por pessoas que não conhecem o criador do mesmo, passei a receber ofensas para com a minha pessoa. Das duas uma, ou não me conhecem ou têm a inteligência limitada e não perceberam, AINDA, a essência deste blog. Se você o leu e se ofendeu, não fique bravo. Não leve esse texto tão a sério. Saiba levar na brincadeira. Discordar das ideias? Ok, então rebata com argumentos, não com ofensas a quem escreveu o texto.

“Ah, mas você nos ofende também”. Ofendo justamente por não entenderem a essência do blog e levam as palavras a sério demais. Se você se sente ofendido com os textos, saia do blog. Não leia mais, é simples. A internet tem trilhões de sites, viaje por eles. Navegue, seja feliz. Não perca seu tempo com algo que te irrite.

Quase tudo que é dito aqui é forçado e fantasioso e não algo a ser levado a sério. Quero deixar claro: não quero que façam lâminas nas portas do metrô, não quero que o ônibus que eu perdi capote e não tenha sobreviventes e não acho todo vegetariano um filho da puta. Etc etc etc. É tudo BRINCADEIRA!

Se você se acha capaz de ler na esportiva, ótimo. Se não se acha tudo bem, procure outro blog e não volte mais. Mas não vou aceitar, JAMAIS, ofensas diretas a mim ou a outra pessoa que comentar ou postar aqui. Também não deixarei de expressar o que bem entender. Não é por meia dúzia de pessoas que não entendem o blog e partem para ofensas pessoais que deixarei de escrever para os que admiram e se divertem com ele.

Obrigado e aguardem o próximo texto, que sairá em breve.

Published in: on fevereiro 14, 2011 at 12:33 pm  Comments (13)  

Como alguém pode comemorar virada de ano?

2011. Pois é senhoras e senhores, mais um ano começa. Eu, particularmente, não vejo motivos para comemorar uma virada de ano. Para mim, virada é sinônimo de começar tudo de novo: trabalhar, se irritar, se endividar, trabalhar mais, se fuder etc. Mais do mesmo. Tenho pena de quem se ilude, vai à praia, faz promessas e o caralho a quatro, achando que tudo vai mudar simplesmente porque virou o ano. Não, não vai mudar porque virou o ano. Acho que eu sou a pessoa certa para dizer a vocês que NADA vai mudar com a vinda de um novo ano. NADA, você vai continuar o mesmo lixo de sempre.

A não ser que mude suas atitudes. As coisas só melhoram quando mudamos atitudes e para mudá-las não é preciso começar um novo ano! Correto? Não é preciso virar o ano para fazer um regime, começar a malhar, estudar, evoluir. Definitivamente. Mas não, é preciso começar outro ano para mudar. O fato é que 99,9% das promessas de final de ano não são realizadas justamente por isso, por serem da boca para fora.

Enfim, além de ter a consciência de que nada muda com a virada, que depois do dia 31 de dezembro vem o dia 1º de janeiro e só, ela põe um ponto final no clima gostoso de fim do ano. Nada como a chegada de dezembro, aquela sensação de que acabou o ciclo, decoração de natal, viagem, dias de férias, roles, amigo secreto (eu gosto de amigo secreto, desde que o tio João e a vó não me tirem), é tudo muito bom. Quando isso tudo acaba? Na virada. Geralmente depois dela tudo volta ao “normal”. Isso para quem trabalha, que é o meu caso há pelo menos quatro viradas… Com a virada começa tudo de novo: Big Lixo Brasil, a merda do Carnaval etc etc etc.

Ultimamente eu sempre me preocupei com a minha virada. Como seria, se seria legal, o que eu poderia fazer para animar etc. Como se todo o ano seguinte dependesse de como seria a virada. Se fosse uma merda meu ano seria uma merda e ponto final. Aí era correr feito bobo pela praia, pular sete ondas correndo que nem um animal, cantar alto as musiquinhas patéticas de fim de ano, tentar beber, iniciar contagem regressiva de 10 segundos às 23:30, inventar dancinhas engraçadas para alguma música que esteja tocando etc. E no fim, a mesma merda de sempre. O ano vira, voltamos para casa, as férias acabam e toca mais um ciclo pela frente.

Outra coisa que vem com a virada do ano é a dívida. IPVA, IPTU, matrícula de crianças, aumento de TODOS os preços e por aí vai. Busão subindo para R$ 3,00, aumento de seguro obrigatório, de taxa de inspeção veicular… Aliás, vai tomar no teu cu, seu prefeito viado de merda. Como alguém pode comemorar virada??

Falando em dívida, neste natal, ganhei duas delas de presentes: uma multa e meu IPVA. A multa veio uma semaninha adiantada, já o imposto chegou exatamente no dia 24 de dezembro em casa. Tem que ser muito filho da puta para entregar o IPVA na véspera de natal. Tem que levar tiro, estragar o natal de uma pessoa dessa maneira. Caralho, entrega essa porra no dia 20, no dia 27, no dia 5, sei lá, mas no dia 24? Na véspera do natal? É pra brochar qualquer peru. Uma divida de 1.000 reais bem no dia do nascimento de Jesus Cristo!!!! ABSURDO!!!! Tive vontade de socar o primeiro papai Noel de shopping que eu visse. Eu não mereço isso, não faço mal nem a uma barata no natal. Pouco antes da festa apareceu uma barata no trabalho, eu comentei com uma moça aqui e ela:

 -Por que você não matou???????

– É nataaaaaal oras, deixa ela…

Ela também deve ter família e eu, ao contrário do que fizeram comigo, não estrago o natal de ninguém. De resto, não ganhei mais NADA. Se bem que esse tipo de “presente”, “só” dois já está ótimo.

Minha ceia foi um Hot Pocket da Sadia. Mas estava ótimo, porque passei muito bem acompanhado. A virada também, com meu pai, namorada, família tals. Comi bastante, joguei, me diverti. Sem pressão, sem obrigação de fazer da virada algo excepcional e foi ótima. Aliás, fugindo um pouco do assunto, como São Paulo fica uma maravilha no fim de ano, com apenas 30% da sua população, imagino. O que mostra que a capital paulista em si não é um lixo, mas os habitantes dela a transformam nisso.

Sem vocês aqui esta cidade é PERFEITA! NÃO VOLTEM!!! PELO AMOR DE DEUS, FIQUEM ONDE ESTÃO!!!!

Eu proponho explodir todos os acessos a São Paulo após as festas de fim de ano. Quem está dentro fica, quem está fora não entra. Que se fodam onde quer que estejam!

“Vou viajar para a Europa, eeeee!” – que morra na Europa.

“Vou para os Estados Unidos, obaaaa!” – que seja preso como imigrante ilegal e nunca mais volte.

“Vou conhecer o nordesteeeeee!” – ótimo, fique por aí e compense a vinda de milhões de nordestinos para São Paulo. Enfim, que fiquem de alguma forma onde estão. Bem ou mal, não interessa, mas não voltem. Esse seria o presente ideal de natal.

Um abraço a todos e feliz 2011! Eeeeeeeeeeeeee!

Published in: on janeiro 3, 2011 at 7:26 pm  Comments (3)  

Dinâmica de grupo: quando cães se digladeiam pela carne

HUMILHAÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!

Uma das piores invenções do ser humano, e olha que tem várias criações idiotas, é a chamada dinâmica de grupo. Nesta tarde atendi o celular. Era um homem falando sobre uma vaga de emprego. Conversamos por alguns minutos e no fim ele disse o que eu temia:

– … te mandarei um e-mail com mais detalhes, marcando para você vir aqui, participar de uma entrevista em grupo.

– Dinâmica de grupo?

-Aham, e depois a gente…

– (Putaqueopariu…)

Foi decepcionante, me segurei para não desligar na cara do cidadão, já que preciso evoluir e odeio meu atual trabalho. Pelo menos o rapaz teve a decência de me avisar antes. Assim, poderei me preparar física e psicologicamente para este estupro mental, esse arreio moral, essa tortura e humilhação. A dinâmica consiste, na maioria das vezes, em cerca de dez fudidos, infelizes à procura de um emprego qualquer. E nesse curto período, você tem que se destacar de qualquer jeito. Se não, será mais um ali, passará batido. Resumindo: eles juntam cães famintos em uma sala e no meio dela uma pessoa com um pedaço de carne nas mãos falando: matem-se!

São todas iguais, vai chegando um por um. Você entra na salinha e é encarado de cima a baixo por seus inimigos. Sim, são inimigos, filhos da puta que estão ali para tirar seu futuro ganha pão. Não são colegas de profissão, concorrentes nem nada dessa ladainha toda. O tempo dos gladiadores não acabou, apenas mudaram as armas, as formas de humilhação e os locais de batalha. No fundo, todos sabem que são rivais e só um vencerá a disputa. Aquela troca de sorrisinhos entre os candidatos não me engana. Tem a habitual conversinha antes de começar a chacina. As palavras entre parênteses são os pensamentos das pessoas:

– Tudo bem (seu filho da puta)? Qual seu nome? Se formou aonde (espero que não seja melhor que a minha faculdade)?

– Rafael (e o que te interessa?), e o seu (como se eu quisesse mesmo saber)? Me formei na Metodista e você (sua puta, aposto que foi por correspondência)?

– Natália. A Metodista? Ótima faculdade (que merda, já ganhei desse cretino). Me formei na Casper Líbero, fiz pós-graduação na casa do caralho e blábláblá.

– Nossa, que legal hein (foda-se)?

– Obrigada (seu trouxa)

Após uma troca de conversinhas desse tipo, entra o maioral. A pessoa que se acha o controlador do seu destino. E, do alto do seu pedestal de empregador, começa a tirar onda da cara dos miseráveis que compõe o “grupo” da “dinâmica”.

– Oi pessoal, tudo bem? Boa tarde. Vai ser bem simples, não quero tomar o tempo de vocês.

Se você ouvir o “não quero tomar o tempo de vocês” corra, fuja, ou se mate. Vai demorar pra caralho e provavelmente você não será chamado. Porque são várias dinâmicas, cada uma composta de dez infelizes. Só UM será chamado. As chances de você passar são quase nulas. Eu participei de duas na minha vida, semana que vem terei a terceira. Na primeira, por incrível que pareça, fui muito bem. Venci todos! Na raça! E me destaquei. Fiz de tudo, só faltou plantar bananeira. Devo ter feito isso também, mas minha memória seletiva tratou de apagar. Pelo que soube, acho que só eu passei para a fase seguinte.

Depois de tudo que fiz, amigos, tinha uma segunda etapa!

– Rafael, você passou!

– Aeeeeeeee!

– Para a segunda fase

– Aaahhhhhhhh

Mandaram-me falar com o editor da revista, que foi um completo cretino comigo. Falou cinco minutos, como se eu não tivesse passado por uma enorme batalha para estar ali, e me dispensou. Deu muita vontade de falar: seu velho safado, para chegar aqui eu tive que passar por muitas coisas e você me trata como se eu estivesse batendo na sua porta pedindo pão velho. Seu lixo!

Enfim, não disse isso. Anos depois, fui chamado para outra entrevista do tipo. Ao contrário da que fui chamado hoje, nessa ela não me avisou que seria dinâmica. Fui animadão tals, feliz, esperançoso, chego lá dou de CARA com um grupo de cães famintos. Deu vontade gorfar, de pular pela janela, juro por Deus. Passei trinta minutos na salinha esperando a infeliz aparecer, ouvindo os papinhos falsos e pensando na forma mais rápida de me suicidar. “O que eu to fazendo aqui? Puta merda, não acredito.”

Resumindo, passei a tarde toda me fudendo, ouvindo um monte de ladainha, escrevi, À MÃO, quatro textos gigantescos e não fui chamado. E acho que ninguém foi chamado. Eles devem fazer isso, quando não tem trabalho na empresa. Como forma de passatempo.

– Dia chato hoje não?

– Pois é…

– Borá fazer uma dinâmica com uns otários?

– Boa idéia!

Ficam lá, zoando com a nossa cara, enquanto um grupo de funcionários assiste por vídeo, ou atrás de um espelho falso, às gargalhadas.

– Passa a pipoca ae fulano! Esse branquelo narigudo é uma piada! KKKKK! Valeu muito à pena!

Enfim, juro que caso um dia eu faça seleção para emprego, JAMAIS farei dinâmica de grupo. Pedir para trabalhar já é uma humilhação, grupal ainda? É muita sacanagem. O filho da puta, você mesmo que gosta de fazer dinâmica, tenha a decência de reservar 15 minutos para cada infeliz. Converse decentemente com eles. Nem sempre aquele que é o mais extrovertido, simpático, carismático é a melhor opção. Muita gente trava num ambiente desses, pessoas capacitadas. Com muita gente, provavelmente você vai ignorar o que se fechar e empregar o palhaço de circo, como eu fui na dinâmica que passei.

Bom, pegarei meu machado, meu escudo e irei para a liça. Afinal, depois de 25 anos de sistema, o que me restava de vergonha na cara já foi para o ralo. Ou se submete, ou se humilha, ou fica na merda. Lá vamos nós, para mais uma humilhação desta merda que chamamos de VIDA.

Published in: on setembro 22, 2010 at 9:38 pm  Comments (22)  

Senhoras e senhores: bem vindos ao circo das eleições 2010!

Confesso a vocês que senti um arrepio na espinha quando eu ouvi, no início da semana, a seguinte frase: hoje começa o horário político hein pessoal? Puts, quase meu café da manhã foi parar na mesa do escritório devido ao asco que tive naquele momento. Tenho nojo de políticos, raiva, abuso, desprezo e os piores sentimentos possíveis. Além de ser obrigado a acordar cedo numa manhã de domingo para votar nesses imbecis, vejo minha programação de TV invadida por essa corja de inúteis que só querem se promover, ganhar status e grana em cima do povinho ridículo e mal instruído que é o brasileiro.

Mas minha visão sobre o horário político mudou. Sim, passei de um crítico assíduo a um entusiasta. Estava no trabalho dia desses e esse festival de horrores passando na televisão. A raiva foi se transformando em graça e me peguei rindo, gargalhando. Sensacional! Eu rachava o bico a cada candidato a deputado que passava na televisão. O horário político, senhoras e senhores, é, de fato, o melhor programa humorístico que temos na televisão brasileira.

Ele reúne todas as sensações que um ser humano possa sentir. Pena. Nossa tenho pena de cada imbecil que se candidata, falam cinco segundos e acham que serão eleitos ainda. Num partidinho minúsculo dizem: Pela educação, meu nome é “Ciclano”, 6666. O que me levaria a votar nesse cidadão? Sinceramente. Quem vai votar nesse infeliz por essa triste mensagem na TV. Mas mesmo assim, ele e muitos outros estão lá. O coronel Fulano, o capitão não sei quem, a enfermeira Maria, o Zé do Bar e tantos outros. Alguns até devem querer fazer algo de bom, mas para mim, a maioria quer um emprego legal, uma grana boa e status. Só isso.

Não sei se admiro a inocência desses infelizes ou se os abomino. A minha opinião é que são uns pobres coitados, que gastam o pouco da grana que têm na esperança de mamar nas tetas do Governo. Mas a inocência pode ser considerada uma coisa boa. Eu por exemplo, quanto mais conheço do mundo e das pessoas mais amargo eu fico. Portanto, se eu vivesse na inocência, num mundinho de fantasias, provavelmente eu seria mais feliz concordam? Façam a escolha, sejam inocentes, ignorantes, burros e felizes ou informados, estudiosos, cultos e infelizes.  

Mas o meu nervosismo natural terminou quando eu vi famosos querendo ser eleitos. Bando de cretinos! Dêem uma olhada na listinha rápida que eu fiz:

Kiko KLB

Marcelinho Carioca

Tiririca

Dinei

Maguila

Filho do Raul Gil

Patético!! Eles acham que por serem famosos podem ser eleitos e ficar lá, ganhando uma graninha, sem fazer merda nenhuma. Aí conseguem a aposentadoria de parlamentares que, se não me engano, se conquista no término de dois mandatos. Uma puta duma grana.

As frases do Tiririca na TV: “vote Tiririca, pior do que está não fica”. “Você sabe o que um deputado federal faz? Nem eu, mas quando eu descobrir te conto”. “O povo não é palhaço, mas eu sou. Vote Tiririca”. Eu rachei o bico, claro, não por ser engraçado, mas por ser muito idiota. Pior que uma praga dessa pode ser eleita sim. Esse povinho bizarro pensa: “vou votar nele, ele é engraçado, hehehe”. Aliás, o Tiririca vai vestido de Tirica na Câmara? Tem que ir caso seja eleito, afinal o povo votou nele, não no cidadão que o interpreta. Mas se você se eleger Tiririca, quem vai querer MORRÊ-ÊÊ serei eu meu caro.

E o Kiko do KLB? Um miserável que não faz mais sucesso nenhum e agora tenta pegar um pouquinho da fama que ainda lhe resta para tentar ganhar a vida. E o kiko eu tenho a ver com sua falência seu escroto? Maguila, o cara nem sabe falar direito! “Vo bruiga por voceis na quamara, votem Maguila”. Vai pro inferno, você é uma piada. E o filho do Raul Gil? Huahahah não sei qual é pior, ele ou o pai, que no alto de seus 120 anos vai num horário político falar: “para o meu filho, eu tiro o chapéu!!!” Dinei, Marcelinho Carioca, Lecy Brandão, ex-BBBs… Se você vota em algum desses infelizes eu tenho um recadinho pra você: vai pra casa do caral**!

Mas o mais irritante, o mais patético, o mais filho da puta de todos é o Netinho. Esse miserável fazedor de média, falso que nem uma pedra, se faz de santo, de “gente da gente”, que veio da favela, mas mora num casarão num bairro rico de São Paulo, e é cheio da grana. Esse safado, que espancou a mulher dele e a fez ir pro hospital, fala com a maior falta de vergonha na cara da FACE DA TERRA: “Gente, está na hora de pormos alguém que conhece os problemas da gente”. Eu sinto uma raiva profunda desse cretino. Que é candidato, pasmem, a SENADOR!! Pior que esse pulha foi eleito vereador mais votado de São Paulo nas últimas eleições. Caímos no problema do povo BURRO, IMBECIL que se deixa levar por um teatrinho desses.

Esse animal tinha criado um canal de televisão. A emissora, para a minha alegria, faliu. Ele, que se diz contra o racismo, que sempre abominou a discrepância no tratamento das raças, queria contratar apenas negros para a TV dele. Irônico não? Alguém contra a diferença racial querer contratar apenas negros. No mínimo hipócrita. Nojento. E se eu, senhoras e senhores, fizer uma TV e só contratar brancos? Vou preso, acusado de racismo. E você Netinho,  é um mau caráter de primeira grandeza, uma ESCÓRIA. Se esse infeliz vencer eu vou para o Haiti, mas saio desta merda de País.

 Acho que é isso. Antes de votar, parem e pensem. Pelo amor de Deus. Não votem nesses putos metidos a famosos, que só querem ganhar grana. Assistam debates entre candidatos a Governo e Presidência.  Enfim, se esforcem um pouco, vejam passado dos candidatos etc. Eu sei que no fim ficará a mesma merda, mas pelo menos a sua consciência estará limpa. E, para finalizar, lembre-se: no circo das eleições, o verdadeiro palhaço é você!

Published in: on agosto 19, 2010 at 9:16 pm  Comments (6)  

Um marginal em meio à nova geração eletrônica

No Brasil, videogame novo é vendido a peso de ouro

Quem lê o blog e não me conhece deve pensar que eu odeio tudo. Mas não. Há coisas que eu adoro fazer. Uma delas é o videogame. Chamem de nerd, como quiserem, mas a verdade é que desde que me conheço por gente eles estão na minha vida e com certeza sempre estarão. Estou nessa desde os quatro ou cinco anos de idade e já passei por Atari, Master System, Mega Drive, Super Nintendo, Nintendo 64 e Playstation 2. Meus pais já gastaram uma nota em consoles e jogos para mim, principalmente quando era preciso adquirir os originais. Com o PS2, e com o surgimento de barba e vergonha na minha cara, isso deu uma sossegada.

Estava tudo muito bem, tudo muito legal, até que, dia desses, um japa filho da puta da Sony acordou e disse:

– Shakimexi Nakara putagura picofu dermura Rafael né?! (Tradução: mas que belo dia para fuder um filho da puta chamado Rafael né?)

Sim, o miserável do japa criou todo um sistema visando única e exclusivamente foder um rapaz branquelo, alto e narigudo que mora do outro lado do mundo. O cretino criou uma forma de vencer a pirataria. Ou seja, a poderosa, invencível e ABENÇOADA pirataria foi vencida e agora temos que comprar jogos originais. Só o console é mais de mil reais, imagina pagar 200 conto no mínimo por um jogo? Já perdi as contas de quantas merdas eu já comprei, joguei cinco minutos, e viraram frezbie de cachorro, peso de papel, encalço para cadeira e mesa. Seria muito mais drástico agora, que EU teria que pagar com o MEU dinheiro. Tragédia. Esse japa filho da puta deve ler este blog e procurou motivos para um novo texto, só pode ser.

Enfim, após anos de Nintendo 64 e Super Nintendo, com seus jogos caríssimos e originais, prometi a mim mesmo NUNCA MAIS COMPRAR UM JOGO ORIGINAL. Sim, eu compro PIRATA e enquanto não pagarem salários que possam pagar mídias originais eu continuarei comprando PIRATA. E não me venham com papinho de pirataria é crime e blábláblá. Crime é o assalto de comprar 200 mangos num jogo. “Mas a pirataria alimenta o tráfico.” HUAHUAUHUAHAUH! Os caras que estão lá fazem isso porque são desempregados nesse sistema de merda que vivemos. Quer dizer que cinco reais que pago num DVD vai alimentar o crime nos morros? E eu sou idiota? Posso ser com algumas coisas. Entretanto, neste aspecto não. Joguinho de peso na consciência comigo não cola.

Pau no c* desses miseráveis que cobram uma fortuna de impostos e fazem o jogo chegar aqui pelo quádruplo do preço. A solução contra o fantasma da pirataria é o bom senso. Influenciem a compra de originais dando um preço justo, não com propagandinhas de merda! Minha consciência vai pesar se eu pagar 200 pau em um jogo, não por comprar pirata e estar supostamente ajudando o crime. Pff, algum imbecil caiu nessa? Não só compro como faço amizade com os manos da barraquinha, sou um associado do crime agora?

Bom, eu não pretendia ficar fora da evolução do videogame. Vencido pelo japa miserável da Sony, passei a ver o Xbox-360 com bons olhos. Jogos piratas! Viva a pirataria! Mas, e na minha vida as coisas boas sempre vêm acompanhadas de um “mas”, estou me acostumando a levar um duro golpe após momentos de felicidade. Alegria de azarado dura pouco. Se comprasse um desbloqueado, que aceita games falsos, não poderia jogar nada online. Se jogasse, a Microsoft, que faz o Xbox-360, identificaria meu aparelho desbloqueado e o baniria da Live, o servidor que permite esse acesso. Ficaria com um vídeo-game impossibilitado de conectar à internet para sempre.

E volta o cão arrependido, com seu nariz farto, a carteira roída, atrás de uma nova alternativa. Com o rabo entre as patas, dividi em várias vezes um computador novo. Vários gigas de memória, HD, processador ótimo. Pronto, jogarei as bagaças no PC. Adquiri um controle tals, comprei jogos PIRATAS liguei meu novo computador e… E… Não deu. Ficou para a próxima.

Quando se trata de Razinho as coisas são bem mais complicadas que o normal. O PC não rodava os games fodões. Precisa de um tal Shader Mode 3.0 ou superior para dar certo. Eu, inocente, para não dizer burro, procurei no Google na esperança de baixar o tal Shader Mode 3.0, instalar e poder jogar tranquilamente. Afinal, eu só quero jogar, CARALHO! É pedir muito isso???

O tal Shader Mode 3.0 não é para ser baixado e sim comprado. Indicava que a placa de vídeo do meu PC precisava ser mais avançada. No entanto, a força superior me fez nascer com algo chamado persistência. Afinal, não teria graça zuar um cara que desistisse fácil. Então é uma característica boa para mim e para a temida força superior, pois assim ela pode me zoar à vontade, muitas vezes.

Fui atrás da PORRA da placa de vídeo:

– Cerca de 300 reais no seu cartão Mastercard.

– Certo ok, vou levar então.

– Ah não esqueça da fonte hein?

– Fonte? Como assim?

– Sim, precisa de uma fonte de energia para suportar a placa.

– Tá, quanto custa isso?

– 200 reais

– FUUUUUUUUUUUU

É senhoras e senhores. Cá estou, totalmente avesso às novas tecnologias de videogames. Logo eu, que sempre fui um aficionado. Fui obrigado a recuar e esperar. Logo eu novamente, que odeio esperar. Se eu já não tinha grana antes, agora que comprei o PC na esperança de poder jogar e fracassei tenho menos ainda. Agora vou-me, jogarei PACIÊNCIA no meu PC novo de última geração.

Published in: on junho 30, 2010 at 6:54 pm  Comments (8)  

Quando tudo dá errado em dia de dilúvio

Eu pedindo carona a Noé

(Galera, eu comecei a escrever este texto no ano passado e ficou incompleto. Portanto, estou finalizando ele só hoje e publicando no blog. Ando meio sem inspiração para nada, inclusive mandar quem não comenta à merda. Bom divertimento)

Não sei se vocês sentiram falta dos textos no blog, já que faz mais de duas semanas que não tem nada novo aqui, mas uma coisa é certa: a força superior, aquela que racha o bico da gente e nos pega para Cristo de vez em quando, sentiu. E tratou de me proporcionar assunto para escrever um novo texto. Tudo começou com uma noite mal dormida. A falta do que fazer no feriado me fez ficar jogando no computador o dia inteiro. Então, na hora de dormir meu cérebro não parava de bolar estratégias para uma missão impossível que ainda não passei. (hoje eu já a conclui, informação inútil, mas é bom ressaltar)

Logo depois que consegui dormir senti-me escorraçado do meu ninho por essa força superior. Dizendo: levante-se idiota. Teremos um longo dia pela frente. Abri a janela: um dilúvio de causar inveja a Noé. E eu tinha esquecido de construir a minha arca. A força superior, que adora me foder, coincidentemente esqueceu de me avisar. Enfim, não consigo nem salvar um animal, no caso eu mesmo, imagina juntar um casal de cada espécie. Deve dar um trabalho absurdo. Que vão todos para o inferno mesmo.

Fui pegar o guarda-chuva para enfrentar esse dia maravilhoso, pós-feriado, pós-noite mal dormida e… cadê? Minha irmã ou minha mãe já tinham levado. Ótimo. Corri debaixo de um dilúvio até o ponto de ônibus e fiquei em pé nos banquinhos, amaldiçoando a todos. Entrei no busão, corri de novo embaixo do pé d´água e cheguei no metrô. Fui passar o bilhete único e aconteceu algo inesperado:

a)      Não tinha crédito

b)      Deu pau no sistema e tava com mil reais no cartão

c)      Estavam premiando o idiota que aparecesse mais molhado no metrô e eu fui o vencedor

d)      Uma mulher linda, molhada, de camiseta branca, sensual, pediu para pagar a passagem dela e nos conhecemos melhor, se é que me entendem

Eu sei que os testes estão cada vez mais difíceis, é praticamente impossível prever o que acontece comigo não é verdade? Mas é um bom treino pro pessoal que vai fazer vestibular. Hilário Diário também é estudar. Acertou quem disse que o cartão não tinha crédito. Abri a carteira pra carregar o bilhete e… Tá bom chega de múltipla escolha, não tinha dinheiro. Nada, nem um centavo. Eu tenho mania de andar sem grana, pago tudo no cartão. Mas o destino gosta de fazer uma brincadeira chamada “dane-se Ra” (à lá Moe Szyslak). Eles aceitam todos os cartões, MENOS o Visa. E eu, claro, uso qual cartão? O Visa! Não percam a contagem:

Terça-feira pós-feriado de merda

Noite mal dormida

Manhã de dilúvio

Sem guarda-chuva

Já bem molhado

Minutos que pareceram horas ilhado em cima do banquinho do ponto de ônibus

Bem atrasado pro trampo

Bilhete único sem crédito no metrô, sem dinheiro pra recarregar e não aceitava meu cartão de débito.

Não preciso dizer que nessa hora eu já estava um pouquinho nervoso. Afinal, já tinha levado um fatality na cara, seguido de um brutality e de um humilhation. Mas enfim, eu só tinha que subir uma ladeira, uns três quarteirões, embaixo de um DILÚVIO, sem guarda-chuva. Até aí tranqüilo né pessoal? Quem nunca fez isso?

Quem mora em SP sabe que todas as estações de metrô tem uns vendedores de guarda-chuva. Desempregados à espera de um fudido como eu para vender seus produtos de qualidade de merda admirável. E eles são como cães, animais que pressentem o dilúvio e antes do mesmo acontecer já estão lá. Fui negociar uma sombrinha com o cidadão. Vocês devem se perguntar: mas você não tinha grana nem pro metrô teria pro guarda-chuva? Não, não teria, mas fui negociar com o miserável mano.

– Brotheeer (à lá Samuca), seguinte bicho. Fui passar o bilhete único e deu sem crédito, estou sem um centavo e preciso ir até o banco pegar grana. Tem como você me adiantar um guarda-chuva na volta eu te pago?

– Sei não hein véi? Não costumo fazer isso.

– Sério cara, confia em mim, eu volto pra te pagar. Se eu for nessa tempestade até lá fudeu ferrou de vez.

Ele aceitou ou não? Fica para o próximo texto, aguardem 😉

Zoeira, zoeira. Não darei uma de João Kleber, aquele filho da puta que me segurava duas horas com um caso ridículo e no final não contava o fato.

Após duas horas e 10 intervalos:

-Depois do intervalo! Não sai daí! Você vai saber o que aconteceu com essa mulher! É incrível! Impressionante!

Depois de cinco minutos de intervalo:

– Não temos mais tempo, tchau Brasil! Até semana que vem!

Maldito, miserável, cretino, lazarento. Ainda acabo com você por ter me feito de trouxa tantas vezes seu filho da puta. Enfim, o cara aceitou. Acreditem se quiser. Peguei um guarda-chuva de cinco reais e sai no dilúvio. Antes da metade do caminho o guarda-chuva virou, estraçalhou com o vento. Eu correndo e tentando desvirá-lo, me molhando ainda mais, desespero. Fui atravessar uma rua alagada e tentei pular uma poça gigante. Saltei e enquanto eu estava no ar, percebi que o pulo não fora suficiente:

– NUUUUOOAAAAAAAAAOOOOOOOO!!!! (“não” em slowmotion)

Paaaa! Me molhei mais ainda porque afundei o pé na poça e molhei toda a perna com o impacto. Correndo com o guarda-chuva virado. Encharcado pra cacete, seis quarteirões depois, cheguei.

– Está aqui o dinheiro e pode ficar com esse lixo de guarda-chuva. Estraçalhou antes da metade do caminho.

Deixei no chão ali e o cara, sem graça porque muita gente estava olhando, me deu outro dessas lixeiras. Carreguei a porra do bilhete e fui embora. Chego no trabalho e ainda ouço minha coleguinha:

– Ai que cara hein Rafa?

Vontade de falar:

– Se vê? Logo depois de um feriadão prolongado e eu com essa cara de cu. Essa cara de merda. Sou um filho da puta mesmo né? Fala a verdade? Merecia ter uma manhã dos infernos pra aprender a ter vergonha na cara.

Enfim, escrevi demais. Depois de tudo, ainda passei o dia com a calça jeans e a meia encharcadas, sugando todo o calor do meu corpo. E peguei um resfriado daqueles. Mas o que importa é que a força superior se divertiu e vocês, provavelmente, também.

Published in: on junho 8, 2010 at 7:14 pm  Comments (6)  

Como ficar feliz após perder um ônibus?

Fala galerinha do mal.

Estava pensando comigo mesmo dia desses, inclusive me esqueci de postar no blog, mas lembrei hoje. Vocês se lembram quando caiu o avião no meio do Atlântico ano passado, sem sobreviventes? Ficou uma cara o avião sumido tals, depois acharam os destroços e corpos no meio do oceano… Lembram?

Então, me recordei agora pouco que estava em casa vendo uma reportagem sobre o assunto e apareceu um cara mostrando a passagem do avião que caiu. Era para ele ter entrado no avião, só não embarcou porque chegou atrasado no aeroporto e, com isso, escapou do vôo da morte.

Imaginei o cidadão puto da vida porque perdeu o avião. Esbravejando, xingando etc. Depois ele sabendo que o avião caiu, que era para ele estar lá e ficou vivo apenas porque chegou atrasado. Imaginem a felicidade por ter perdido o avião e sobrevivido ao que seria sua morte certa? A raiva virando uma alegria, meio contida por ter tantas mortes é verdade, mas no fundo uma enorme felicidade.

A partir disso, sempre que eu perdi um ônibus torci para que ele capotasse, explodisse e não houvesse sobreviventes. Só assim para eu ficar feliz pelo menos uma vez na vida por ter perdido aquela merda. Aquele que passa bem na minha frente logo depois de um árduo dia de trabalho. Me pego pensando: “Eu perdi o ônibus porque morreria se eu o pegasse. É isso aí, pegarei o próximo, é mais seguro.”

Tento pensar assim sempre, principalmente após perder aqueles que eu ainda corro pra tentar pegar, aceno para o motorista apenas a cinco metros de distância do ponto e ele olha com uma cara de: “Espera o próximo, otário!” E eu respondo mentalmente: “É? E você vai capotar seu filho da puta, está olhando para o único sobrevivente desta merda! Seu bosta, você salvou minha vida!”

 Como esse pensamento é um pouco maléfico, tentei imaginar outras situações que me deixassem feliz caso eu perdesse um ônibus na volta para casa. Não consegui… O ônibus capotar e explodir seria a ÚNICA forma de eu ficar contente logo depois de perdê-lo. Pode parecer canalha a constatação (à lá El Muertos), mas é a mais pura verdade. Já me vejo chegando em casa, após 30 minutos a mais esperando a merda do busão e saindo de um trânsito apocalíptico. Ligo a TV e vejo a chamada do âncora do jornal após a arrepiante musiquinha do Plantão da Globo, que aparece em casos de extrema emergência:

 (Vinheta infernal) Tam tam tam tammm tammm tam tam tam taaaammm! Tam tam tammm tammm tammm tam tam tam tammm tam tammmm TURUMTUM!

“E atenção, o ônibus Jardim São Savério (ou Pq. Bristol) perdeu o controle e capotou durante o trajeto blábláblá… não houve sobreviventes…”

Cena do plantão da Globo mostrando o ônibus que eu deveria ter pego

E eu em casa, após passar o medo que tenho da musiquinha do Plantão Globo:

– MEU DEUS ERA PARA ESTAR NESSE ÔNIBUS!! Se eu tivesse subido a ladeira mais rápido eu teria morrido!!! Óh céus muito obrigado! Obrigado Senhor!

Dando entrevistas para o Jornal Nacional: “olha, foi questão de segundos eu não ter pego aquele ônibus viu? Tenho ainda mais claro que minha missão neste mundo está longe de terminar…”

Enquanto isso não acontece, continuo praguejando e amaldiçoando cada ônibus que passa por mim na distância exata para eu vê-lo e não conseguir pegá-lo.

Obs: Se você é motorista de uma dessas linhas, fique atento a um rapaz branquelo e narigudo correndo… Se o ver, é melhor parar… Você foi avisado.

Published in: on abril 14, 2010 at 8:33 pm  Comments (6)  

IPVA ou Playstation 3? Eis a questão…

No começo do ano passei por uma dúvida cruel: comprar um Playstation 3 ou pagar o IPVA do meu carro? O preço é o mesmo praticamente. Ambos em torno de mil reais. O PS3 me daria uma alegria tremenda. Jogar os principais games da atualidade. Destruir as pessoas “inocentes” do cotidiano no GTAIV, explorar um mundo novo com um enredo grandioso em FFXIII, a ação de Devil May Cry 4 ou os zumbis de Resident Evil 5…

IPVA ou PS3? IPVA ou PS3…?

Confesso que fiquei tentado, mas me arrependi logo em seguida. Minha consciência pesou. Meu Deus! Como pude pensar em uma coisa dessas? O Estado conta com a minha contribuição! Fez tudo por mim e eu retribuo dessa forma? Com um pensamento egoísta desses? Pensando só em mim e deixando 40 milhões de pessoas na mão? Cristo! Que tipo de filho eu sou ao deixar meu pai, o Estado, ao relento dessa forma? Ao som de carruagem de fogo, fui até o banco no ultimo dia 19 pagar a última parcela do IPVA.

TAM TAM TAM TAM TAAAAAM TAM (TS TS TS TS)

Paguei! Fiz meu dever cívico de cidadão! De brasileiro! Paulista com orgulho! Afinal eu trabalho por esse povão de meu Deus! Não por mim! Onde vai parar o princípio de coletividade? Tudo pelos outros!

Aliás, se tenho um povo que merece meu esforço e meu carinho é o brasileiro. Povo querido, batalhador e, acima de tudo, HONESTO! Vide a matéria do CQC que foi ao ar ontem. (postarei o vídeo no fim do tópico). Eles doaram uma TV a uma escola pública e ela foi parar aonde?

A-    Numa sala de aula?

B-    No pátio da Escola?

C-    Numa sala de vídeo?

D-    Na casa de uma funcionária?

Acertou quem disse na casa de uma funcionária. Mas antes de começarem a julgar, ouçam o lado dela cacete! Segundo a funcionária da escola, a TV estava com problema para sintonizar canais e ela levou para casa porque tinha gente lá que consertava.

Aaaaaaaaaaahhhh bom! Então assim sim…

O problema é que a TV ficou lá quatro meses e, segundo um chip instalado, foi ligada e desligada todos os dias, mudou de canal todos os dias etc. Só saiu da residência quando souberam que era o CQC que tinha doado e estava indo à escola conferir se a mesma estava lá. Pegaram ela no flagra tirando a TV de casa direto para a escola. Enfim, vejam no vídeo, a matéria ficou SENSACIONAL. Parabéns ao CQC.

Quando eu vejo que pago mil reais só de IPVA para ajudar esse povo bonito e honesto, como aquele político que colocou dinheiro na meia, o outro que colocou na cueca entre muitos outros, confesso que sinto um orgulho enorme. Quando pago 2,49 por litro de gasolina, 2,70 de busão, 2,65 de metrô e tantos outros preços superfaturados por impostos eu bato no peito e digo: pago com PRAZER! Porque EU estou contribuindo por um Estado cada vez melhor!! Se São Paulo está esta maravilha é graças a mim também!!!!

Aliás, dizem que o dinheiro do IPVA vai para a saúde pública não é mesmo? Quando vejo esses hospitais bonitos, organizados, limpos, sem filas sinto uma coisa bonita no coração. Lá no fundo sabe? Porque uma coisa é darmos dinheiro de imposto e não ver onde está sendo gasto, outra é dar milão e ver a saúde pública PERFEITA! Aliás não sei porque meu pai paga plano de saúde. Ta queimando dinheiro coitado. Ele é do tempo que a saúde estadual não prestava, mas com cada carro do Estado de São Paulo dando quase mil no mínimo de IPVA por ano não tem como estar ruim! E não é apenas essa a fonte de renda total da saúde pública pessoal!  

Por essas e outras que quando vejo essas senhorinhas na calçada da Paulista pedindo grana dá vontade de dar uma voadora na cara. Filha da p… pede pra porra do Estado. Acabei de dar mil reais pela SUA saúde e você me olha com uma cara de: filhinho de papai, nem ajuda a pobre idosa aqui. Vai pro inferno bicho! Quem ta devendo para vocês são eles, os lixos do poder legislativo e executivo, não eu! O pobre diabo que perdeu seu PS3 em nome de um Estado cada vez melhor!

Deficiente eu ainda ajudo, agora essas velhas malditas, essas ciganas com esses sujinhos no braço. Vai trabalhar porra. Vai fazer bolinho de chuva pra vender, vai fazer faxina numa casa, vai ser babá, sei lá. To sem meu PS3 aqui por causa de vocês e ainda vou dar trocado???? E vão fazer o que com ele? Quem garante que será usado de forma positiva?

A verdade é que todo ser vivo deveria morrer, sem exceção. Eu, você que está lendo, a gorda da vendinha, a velha pedinte da esquina, o político, a funcionária corrupta etc etc etc. Todos pro saco. Está mais que na hora do Juízo Final e tenho certeza que ganhei pontos com Deus ao pagar, religiosamente, meu sagrado IPVA.

O IPVA de cada ano nos dai hoje. Amém.

Obs: obrigado ao David, meu primo, como sempre despertando minha vontade de escrever textos para o blog. Muitas das coisas contidas nos textos daqui saem das nossas conversas no MSN. Abaixo a matéria do CQC, imperdível.

http://www.youtube.com/watch?v=SboCFBFpD4shttp://www.band.com.br/cqc/blog.asp?id=280149

http://www.youtube.com/watch?v=MZS8sMy8YNU&feature=channel

Published in: on março 23, 2010 at 6:44 pm  Comments (4)  

Um voto à favor da ditadura da beleza

Tava na vendinha aqui perto do meu trabalho comprando algo para comer à tarde quando me deparo com uma gorda gigante pagando por uma sacola de guloseimas no balcão. A baleia tava decidindo se levaria mais dois chocolates talentos ou não. Ela decidiu o que senhoras e senhores? Levar os dois talentos ou cortar os doces, já que a miserável tem um corpo que vale por quatro pessoas juntas? 

Tempo… 

Acertou quem disse que a sebosa levou os dois talentos. 

– Hummm, ponha mais esses dois talentos vai… 

Patética. Tanta gente passando fome e esse ser comendo por cinco. Sinceramente, eu acho ridícula uma pessoa que não cuida do corpo e da saúde. Deprimente ver um obeso no Mc’Donalds comendo que nem um condenado aquela torre de lanches. E falando em slowmotion com a boca completamente cheia: 

– GUOOOSTUUOOOOSOOOOOO, NHUOOC… NHUOOC… MOECDUONAAALDS!         

Enquanto farelos de lanche voam para todos os lados. Não sei qual é pior, o gordo escroto ou os que defendem isso. “Temos que ser felizes do jeito que somos!” Ah é mesmo? Então agüente as conseqüências. Não fique puto quando for xingado de chupeta de baleia, de rolha de poço de saco de banhas etc. Não reclame quando perder um emprego por que a outra concorrente tem uma aparência muito melhor. Sim, aparência é FUNDAMENTAL em diversos setores do mercado de trabalho. Não reclame por não achar um parceiro legal. Não reclame por ninguém gostar de você etc etc etc. A escolha foi SUA! A questão é simples, todos preferem uma companhia bonita e agradável. TODOS. 

Você não tem que ser feliz do jeito que é. Não se renda ao conformismo! É contra isso que eu luto. Temos que batalhar em busca da satisfação pessoal. É muito legal ser admirado, ouvir elogios e parabéns. Teve uma época que malhei pesado e era muito bom ouvir pessoas elogiando, dizendo que eu estava bem melhor. Então por que continuar sendo desprezível? Por que continuar sendo digno de pena? Acho muito bonito um gordo numa academia, suando. O cara ta lá, batalhando para melhorar! Na raça por uma aparência melhor! Admiro demais isso! 

Sempre tem os fulaninhos do “você está sendo muito superficial.” “Isso é coisa da ditadura da beleza, a publicidade põe isso em nossas cabeças, temos que nos adequar a ela se não estamos por fora e blablablablabla”. Perdoe-me, mas não foi nenhuma propaganda que me disse que a Gisele Bündchen é gata e a bola de circo da vendinha é feia. Que eu, magrelo, sou mais feio que um cara sarado. Um Rodrigo Santoro da vida, sei lá. Nenhuma propaganda! É visível isso e podem reparar que criancinhas já pensam assim muito antes de entenderem propagandas. 

Resumindo, para mim não tem essa de beleza interior não. Não sou hipócrita. As gordas e magricelas que me desculpem, mas corpo bonito é fundamental (uma pequena adaptação da frase do célebre Vinícius de Moraes). Ano passado eu estava na academia quando vi uma moça, de boa aparência, com uma camiseta: “você é responsável pelo desenho do seu corpo”. Fechou a conta, matou a pau. Se você tem um corpo zoado a culpa é sua. Absolutamente sua. Quem me conhece deve estar pensando: mas quem é você para falar algo? Magricela desse jeito. 

Pois é meus irmãos, mas o esqueleto aqui tomou vergonha na cara de novo. Éééé! Estou de volta aos treinos pesados e dessa vez vou até o fim. Não são apenas gordos que são zoados, os magrelos também os são. É patético do mesmo jeito ver um chassi de grilo sem camisa na praia. Eu tenho consciência disso! Iniciei o projeto verão 2010-11 ontem. Essa foto minha sem camisa foi tirada agora no carnaval. Final do ano eu postarei outra foto para fazer a comparação. 

E se não tiver melhor, convido vocês, meus caros, a virem me zoar aqui no blog. Aposto que até mesmo aquele pau no c… que sempre vem aqui ler e nunca comentou vai ter o prazer de fazê-lo não é mesmo? Mas tirem o cavalo da chuva, porque aqui tem raça, tem vergonha na cara e tem trabalho. 

Aguardo vocês no final do ano 😉 

Ali estou eu, de calção preto e correntinha branca

Soluções

 Pessoal me cobrou as soluções então to dando uma atualizada. A solução é malhar, óbvio. Tomar vergonha nessa cara e mudar esse corpo de porco suado. Ou de pernilongo. Mas uma solução drástica, porém necessária, poderia ser proibir a venda de uma quantidade grande de comida a essa gente. Cada um anda com uma pulseira e cada coisa que comprar terá que ser registrada ali. Não poderá passar a quantidade de kcal por dia. Quem for pego alimentando esses animais será preso e condenado. Cada caloria ingerida será registrada e monitorada. Para cada uma em excesso terá um minuto de choque.

Quero ver se não melhora!

Published in: on fevereiro 24, 2010 at 6:23 pm  Comments (12)  

Revolta: protetora dos direitos humanos e bandidagem em si

Se tem uma raça que eu odeio, além de políticos, policiais, advogados, bandidos e chefes, é a dos direitos humanos. Um bando de velha mal comida que aparentemente cansou de ver o “Vale a Pena Ver de Novo” e decidiu sair às ruas para encher o saco alheio. Sim, pois essas cidadãs patéticas, que apenas deixam nosso mundo ainda mais podre, querem chamar a atenção indo às TVs, rádios e o caralho a quatro dizer que bandido é humano, que merecem viver num hotel no mínimo três estrelas. Sim, e eles foram humanos quando mataram um pai de família? Quando roubaram o seu dinheiro? Quando estupraram menininhas, seqüestraram um filho? A Lei já é uma MERDA para punir esses malditos e ainda tem essas cretinas para piorar ainda mais.

Aaaaaahhh mas eu pagaria caro para presenciar uma velha dessas, tão assídua na defesa dos direitos humanos, no momento de dizerem que um bandido matou o filho dela. E aí? E aí porra? Que vai acontecer? Ela vai fazer manifestação na porta da cadeia por melhores condições para o bandido que matou seu filho? DUVIDO! É mais fácil meu salário subir que isso acontecer. Se bem que, pensando melhor… deixa pra lá.

Hipócritas imundas! Tinham que ser jogadas num buraco junto com a escória da humanidade. Eu não tenho chorumela não, quem lê meu blog e me conhece sabe que não tenho papas na língua. Para mim, bandido comprovadamente bandido, filho da puta e marginal tem que morrer. Sabem quanto o governo paga para manter um lixo desses lá? Que provavelmente quando sair vai matar alguém de nossas famílias? Mais de mil reais por mês! E quanto o governo paga para mim por mês? PORRA nenhuma. E quem dera fosse isso, quem dera não me desse absolutamente nada e me deixassem viver em paz. Mas além de não pagar sugam minha grana justamente para dar comida e roupa lavada para esses lixos.

Meu primo me mandou um e-mail revoltante hoje. Parece que os políticos fizeram uma lei para ajudar seus irmãos. Seus companheiros de trabalho, já que aqueles merdas de colarinho não se diferem dos Beira-Mar da vida. A medida chama-se auxílio exclusão. Sabem o que é isso? Por lei, a previdência social tem a obrigação de dar a cada presidiário um valor de R$800 por mês para cada filho que tiverem. A lei diz que os mesmos não podem trabalhar para sustentar os minimarginais e isso passaria a ser responsabilidade do governo.

Entenderam? Além dos mais de mil reais que pagamos só para manter UM vagabundo preso sem fazer nada ainda temos que pagar 800 conto PARA CADA filho que esses cretinos tiverem. E o filho do pai de família que morreu na mão do bandido? Justamente pela indolência e incompetência do próprio governo? Vai ganhar o auxílio? Vai ganhar porra nenhuma! Tem que pagar imposto no caixão do pai e esse imposto vai sustentar o próprio bandido!

Agora pense assim, você é um pobre, fudido pelo governo porco capitalista neo-liberalista, com cinco filhos. Você vai se matar de trabalhar e ganhar R$300 ou matar alguém na rua, ser preso, ficar a vida sem trabalhar e ainda garantir 800 pau por mês para CADA filho? CINCO MIL REAIS o governo vai dar para este miserável, fora os MIL para ele ficar lá sem trabalhar! E eu? Que me matei para me formar, que meu pai pagou uma fortuna para eu ter estudo, saúde educação? Não ganho nem perto disso. Mas nem metade disso! Trampando cinco vezes por semana, às vezes de final de semana. E EU TENHO QUE PAGAR ESSA CONTA!

Olha, é revoltante. Viver num mundo desses sem cigarro, sem drogas, sem calmantes, sem bebidas e sem vingança só sendo muito MACHO mesmo.

Soluções

Pena de morte. Simples, prática, objetiva. Evita superlotações em cadeias, claro, isso se ele for comprovadamente culpado de um crime fudido. Fala a verdade gente, vocês acham que Champinha tem jeito? Aquele diabo que seqüestrou um casal, matou o rapaz, estuprou inúmeras vezes a garota e a matou com requintes de crueldade. Tem solução para um Beira-Mar? Que comanda a porra do tráfico até hoje da cadeia? Não tem irmãos, não tem. São demônios, seres de essência ruim, impiedosos que merecem voltar de onde não deveriam ter saído: o inferno.

Com a pena de morte teríamos menos velhinhas enchendo o saco pela má qualidade das cadeias. Se bem que encheriam o saco pela própria pena de morte. Essas vivem para nos emputecer, como se a vida já não fosse o suficiente. Acho que a solução mesmo neste caso é um consolo dos grandes para cada uma. Melhor pagar um consolo do que aturar essas pragas na orelha conseguindo direitos para esses merdas a custa dos nossos bolsos!!

E os políticos? Huahaha, enquanto eu escrevo isso estão lá, colocando minha grana na meia, fazendo uma leizinha aqui para ganhar uma grana, pegando quase R$1000 de IPVA de CADA carro na rua, propondo reforma para aumentar o salário deles próprios. E por aí vai, esses daí não tem jeito. É tiro na boca.

Published in: on fevereiro 10, 2010 at 7:18 pm  Comments (20)