Quando tudo dá errado em dia de dilúvio

Eu pedindo carona a Noé

(Galera, eu comecei a escrever este texto no ano passado e ficou incompleto. Portanto, estou finalizando ele só hoje e publicando no blog. Ando meio sem inspiração para nada, inclusive mandar quem não comenta à merda. Bom divertimento)

Não sei se vocês sentiram falta dos textos no blog, já que faz mais de duas semanas que não tem nada novo aqui, mas uma coisa é certa: a força superior, aquela que racha o bico da gente e nos pega para Cristo de vez em quando, sentiu. E tratou de me proporcionar assunto para escrever um novo texto. Tudo começou com uma noite mal dormida. A falta do que fazer no feriado me fez ficar jogando no computador o dia inteiro. Então, na hora de dormir meu cérebro não parava de bolar estratégias para uma missão impossível que ainda não passei. (hoje eu já a conclui, informação inútil, mas é bom ressaltar)

Logo depois que consegui dormir senti-me escorraçado do meu ninho por essa força superior. Dizendo: levante-se idiota. Teremos um longo dia pela frente. Abri a janela: um dilúvio de causar inveja a Noé. E eu tinha esquecido de construir a minha arca. A força superior, que adora me foder, coincidentemente esqueceu de me avisar. Enfim, não consigo nem salvar um animal, no caso eu mesmo, imagina juntar um casal de cada espécie. Deve dar um trabalho absurdo. Que vão todos para o inferno mesmo.

Fui pegar o guarda-chuva para enfrentar esse dia maravilhoso, pós-feriado, pós-noite mal dormida e… cadê? Minha irmã ou minha mãe já tinham levado. Ótimo. Corri debaixo de um dilúvio até o ponto de ônibus e fiquei em pé nos banquinhos, amaldiçoando a todos. Entrei no busão, corri de novo embaixo do pé d´água e cheguei no metrô. Fui passar o bilhete único e aconteceu algo inesperado:

a)      Não tinha crédito

b)      Deu pau no sistema e tava com mil reais no cartão

c)      Estavam premiando o idiota que aparecesse mais molhado no metrô e eu fui o vencedor

d)      Uma mulher linda, molhada, de camiseta branca, sensual, pediu para pagar a passagem dela e nos conhecemos melhor, se é que me entendem

Eu sei que os testes estão cada vez mais difíceis, é praticamente impossível prever o que acontece comigo não é verdade? Mas é um bom treino pro pessoal que vai fazer vestibular. Hilário Diário também é estudar. Acertou quem disse que o cartão não tinha crédito. Abri a carteira pra carregar o bilhete e… Tá bom chega de múltipla escolha, não tinha dinheiro. Nada, nem um centavo. Eu tenho mania de andar sem grana, pago tudo no cartão. Mas o destino gosta de fazer uma brincadeira chamada “dane-se Ra” (à lá Moe Szyslak). Eles aceitam todos os cartões, MENOS o Visa. E eu, claro, uso qual cartão? O Visa! Não percam a contagem:

Terça-feira pós-feriado de merda

Noite mal dormida

Manhã de dilúvio

Sem guarda-chuva

Já bem molhado

Minutos que pareceram horas ilhado em cima do banquinho do ponto de ônibus

Bem atrasado pro trampo

Bilhete único sem crédito no metrô, sem dinheiro pra recarregar e não aceitava meu cartão de débito.

Não preciso dizer que nessa hora eu já estava um pouquinho nervoso. Afinal, já tinha levado um fatality na cara, seguido de um brutality e de um humilhation. Mas enfim, eu só tinha que subir uma ladeira, uns três quarteirões, embaixo de um DILÚVIO, sem guarda-chuva. Até aí tranqüilo né pessoal? Quem nunca fez isso?

Quem mora em SP sabe que todas as estações de metrô tem uns vendedores de guarda-chuva. Desempregados à espera de um fudido como eu para vender seus produtos de qualidade de merda admirável. E eles são como cães, animais que pressentem o dilúvio e antes do mesmo acontecer já estão lá. Fui negociar uma sombrinha com o cidadão. Vocês devem se perguntar: mas você não tinha grana nem pro metrô teria pro guarda-chuva? Não, não teria, mas fui negociar com o miserável mano.

– Brotheeer (à lá Samuca), seguinte bicho. Fui passar o bilhete único e deu sem crédito, estou sem um centavo e preciso ir até o banco pegar grana. Tem como você me adiantar um guarda-chuva na volta eu te pago?

– Sei não hein véi? Não costumo fazer isso.

– Sério cara, confia em mim, eu volto pra te pagar. Se eu for nessa tempestade até lá fudeu ferrou de vez.

Ele aceitou ou não? Fica para o próximo texto, aguardem 😉

Zoeira, zoeira. Não darei uma de João Kleber, aquele filho da puta que me segurava duas horas com um caso ridículo e no final não contava o fato.

Após duas horas e 10 intervalos:

-Depois do intervalo! Não sai daí! Você vai saber o que aconteceu com essa mulher! É incrível! Impressionante!

Depois de cinco minutos de intervalo:

– Não temos mais tempo, tchau Brasil! Até semana que vem!

Maldito, miserável, cretino, lazarento. Ainda acabo com você por ter me feito de trouxa tantas vezes seu filho da puta. Enfim, o cara aceitou. Acreditem se quiser. Peguei um guarda-chuva de cinco reais e sai no dilúvio. Antes da metade do caminho o guarda-chuva virou, estraçalhou com o vento. Eu correndo e tentando desvirá-lo, me molhando ainda mais, desespero. Fui atravessar uma rua alagada e tentei pular uma poça gigante. Saltei e enquanto eu estava no ar, percebi que o pulo não fora suficiente:

– NUUUUOOAAAAAAAAAOOOOOOOO!!!! (“não” em slowmotion)

Paaaa! Me molhei mais ainda porque afundei o pé na poça e molhei toda a perna com o impacto. Correndo com o guarda-chuva virado. Encharcado pra cacete, seis quarteirões depois, cheguei.

– Está aqui o dinheiro e pode ficar com esse lixo de guarda-chuva. Estraçalhou antes da metade do caminho.

Deixei no chão ali e o cara, sem graça porque muita gente estava olhando, me deu outro dessas lixeiras. Carreguei a porra do bilhete e fui embora. Chego no trabalho e ainda ouço minha coleguinha:

– Ai que cara hein Rafa?

Vontade de falar:

– Se vê? Logo depois de um feriadão prolongado e eu com essa cara de cu. Essa cara de merda. Sou um filho da puta mesmo né? Fala a verdade? Merecia ter uma manhã dos infernos pra aprender a ter vergonha na cara.

Enfim, escrevi demais. Depois de tudo, ainda passei o dia com a calça jeans e a meia encharcadas, sugando todo o calor do meu corpo. E peguei um resfriado daqueles. Mas o que importa é que a força superior se divertiu e vocês, provavelmente, também.

Anúncios
Published in: on junho 8, 2010 at 7:14 pm  Comments (6)  

The URI to TrackBack this entry is: https://hilariodiario.wordpress.com/2010/06/08/quando-tudo-da-errado-em-dia-de-diluvio/trackback/

RSS feed for comments on this post.

6 ComentáriosDeixe um comentário

  1. hahahahha… ja aconteceu isso comigo também mas a força superior pegou mais leve comigo…

    pra piorar a sua situação, só faltava na volta do banco o dinheiro cair na poça d’água e DISSOLVER… hauhauhauhauha

  2. kkkkkkkkkkkkk boa cabeça… “Ando meio sem inspiração para nada, inclusive mandar quem não comenta à merda. Bom divertimento)” kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk velho eu faço o mesmo, ando duro pq se alguem me assalta to fudido. Levo so o cartao pq pelo menos o trabalho de ir sacar dinheiro o fdp vai ter que ter, e como o cartao eh mini e nao entra em caixa rapido… vai ter que entrar em uma loja e comprar algo, ate la ja desistiu. O salto que vc so percebe que nao eh suficiente no alto eh de lei, ou isso ou vc escorrega quando consegue saltar e se fode do mesmo jeito. Velho muito bom o texto, a vontade de mandar a mulher tomar no cu ate eu to agora kkkkkkkkkkkkkk.

    Eu ja tava te enchendo pra vc voltar a escrever, muito hilario ler isso. NEVER GIVE UP, KEEP WALKING….auhauahu

    Abraço sangue!

  3. Nao tem como nao comentar depois de um texto desse neh?
    E nao tem como deixar de imaginar todas as cenas…
    (e até o slowmotion hahahha)
    Muito bom Ra! Nao deixe de escrever!
    bjobjo

  4. GENIAL!
    Eu ja tive um dia desses bro!
    Essa força superior nos criou para sua própria diversão!¬¬

  5. Olha Rafinha…
    Eu ri bastante, mas de verdade, a cada acontecimento eu dizia aqui sozinha “Tadinhoooooooooo!!!” ou então “Ai Meu Deus, coitadoooo!!”… hsuiahsuihasiuhas….
    Ou seja, eu ri, mas tbm fiquei com dó de ti!!!
    =PP
    bjuxxx

  6. hsauhsuahshas….cada vez que eu leio um texto teu eu me perguntoo!! Caraaaambaa, será mesmo que acontece tudo isso com ele ou ele força um pouco pro pessoal dar risada…kkkk

    O fato é que aconteceu comigo o mesmo que a Aline aii de cima…a cada tragedia lida eu pensei…Nuuuussa….coitaaado….só pode ser carmaa! hsuahsuhas

    Parabéeens Raa…ler tuas histórias me faz um bem enoorme depois de um dia FDP!!

    Beijoos


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: